Empreendedorismo

12 erros fatais na gestão empresarial que podem arruinar seu negócio

Escrito por F360°

No mundo dos negócios, praticamente não há margem para erros. Tomando como base esse princípio, fica evidente a importância de conhecer os principais erros que levam o empreendimento a caminhos perigosos e, muitas vezes, sem volta.

Por isso criamos este post: com a finalidade de mostrar a você os 12 erros que jamais devem ser cometidos em sua gestão empresarial. Leia atentamente!

1. Não registrar todas as movimentações

Não manter um registro detalhado das entradas e saídas de dinheiro na sua empresa é pecar por omissão. Sem lançar os créditos e débitos, não há como avaliar se o caixa do negócio está bem ou mal. Então, quando for preciso pagar uma conta, ou comprar suprimentos, por exemplo, isso será feito às cegas.

Manter essa prática — que, na verdade, é fruto de desorganização — impossibilita a empresa de permanecer atuante por muito tempo.

2. Não fazer o fluxo de caixa

Esse erro está relacionado ao anterior, pois o fluxo de caixa demanda o registro de cada entrada e saída de recursos em um empreendimento. E, como ele é uma poderosa ferramenta de gestão empresarial, abrir mão da sua utilização é incorrer em um sério erro: sem o Fluxo, planejar o futuro da empresa torna-se uma aventura.

3. Não fazer um demonstrativo de resultados

Como o demonstrativo de resultados permite ao gestor visualizar o resultado líquido de sua empresa em um determinado período, deixar de fazê-lo é seguir em frente sem saber se o negócio está dando lucro ou prejuízo.

Ou seja, o empreendedor que não faz um a Demonstração de Resultados do Exercícios (DRE) não consegue enxergar os momentos da sua empresa. Por exemplo, se ela está precisando de uma injeção de recursos, ou outra tomada de ação que vise sua recuperação em tempo hábil.

4. Não utilizar um sistema de gerenciamento financeiro

Abrir mão das funcionalidades de um sistema de gestão financeira é virar as costas para possíveis soluções voltadas ao financeiro da empresa. Inclusive, com essa ferramenta, é possível lançar despesas e receitas, fazer fluxo de caixa e DRE. Já sem ela, as contas da empresa continuarão em desordem, e o caos só se multiplicará.

5. Não se preparar para as épocas de baixa lucratividade

Todo negócio acaba passando por momentos de baixo movimento e lucratividade. Seja em função de finais de semana prolongados, férias, por trabalhar com produtos sazonais ou qualquer outro motivo.

Não prever esses momentos — nem se preparar para eles — é um erro muito comum, e bastante perigoso para as finanças da empresa. Isso, porque, mesmo nas épocas de escassez de recursos, os compromissos precisam ser saldados.

Não é pelo fato de a empresa estar menos movimentada, e entrar menos dinheiro que os funcionários e fornecedores dispensarão receber seus pagamentos. Nem o aluguel e as contas poderão esperar: então, cometer o erro de não ter reservas para os dias ruins é lançar-se em uma empreitada muito arriscada.

6. Não enxergar o negócio com realismo

Ter uma ideia equivocada sobre o próprio negócio é um erro que muitos empresários cometem. Isso acontece em diferentes situações: ao não perceber que é chegada a hora de reinvestir, acreditar que o renome da marca por si só é capaz de manter os negócios em alta, e muitas outras situações.

Para exemplificar: há o caso de um empreendedor, cujo grande trunfo era possuir um olhar certeiro para bons negócios. Ele comprou um buffet infantil, investiu cada centavo que tinha no comércio — e os que não tinha também, já que parcelou muito do valor total.

Ao adquirir o buffet, ele estava perfeito, uma autêntica raridade. Tudo em ordem, brinquedos modernos, cozinha bem equipada, equipe competente, tudo funcionando como deve. Mas o tempo passou, as coisas mudaram. E o empresário não percebeu. Moral da história: seu negócio ficou defasado, perdido no tempo. E, ele, na ilusão que o buffet ainda era competitivo.

Ou seja: deixou de enxergar seu negócio com realismo, e de fazer os necessários ajustes para mantê-lo à frente da concorrência.

7. Não reinvestir

Negligenciar a necessidade de reinvestir na empresa é arriscar-se a vê-la atrás dos concorrentes, em uma posição desfavorável. Tudo precisa ser renovado, para não perder a atualidade: desde as instalações de uma empresa, passando por sua área financeira e organizacional, seus processos, até aquilo que o cliente realmente vê. E que, na verdade, é impactado por cada um dos demais elementos. 

8. Não pesquisar a concorrência

A concorrência: um ponto que jamais deve ser esquecido. Não ficar atento a como ela se comporta é um grande erro: ao praticá-lo, corre-se o risco de perder clientela, o que, em qualquer ramo, é caminhar rumo ao fracasso.

9. Não separar as despesas pessoais das empresariais

Esse erro provoca grandes confusões nas finanças de um negócio, sendo outro derivado da desorganização. Ele acontece quando os recursos que deveriam permanecer no comércio são levados para o pagamento das despesas pessoais do empresário. O que impede uma gestão financeira saudável, e empurra o empreendimento ladeira abaixo.

10. Não dar a devida atenção às obrigações empresariais

Ignorar o pagamento de obrigações com o fisco ou trabalhistas é um erro com consequências desastrosas. É impossível, a uma empresa séria, trabalhar praticamente na informalidade: as multas e outras sansões para os estabelecimentos que falham com seus compromissos fiscais e trabalhistas são severas.

11. Não atualizar as práticas de gestão financeira

Fazer a gestão empresarial ancorada em práticas demoradas e que deixam brechas para dúvidas é um verdadeiro desastre. Entre essas práticas está a de manter os dados da empresa em planilhas estáticas, que demandam muito tempo e retornam pouco em termos de respostas à gestão financeira da empresa.

Não adotar um sistema de gestão financeira à altura das diversas necessidades de um negócio é acabar encarando o financeiro da empresa como a um inimigo, quando, na verdade, deveria representar um aliado do seu crescimento.

12. Não investir em publicidade

Deixar a empresa invisível ao consumidor é um erro que, pouco a pouco, vai diminuindo a sua capacidade de manter-se no mercado. Com a imensa quantidade de empresas fazendo mídia, já que após a revolução ocasionada pela internet ficou muito mais fácil e barato marcar presença, empresa que não se faz vista acaba mesmo sendo esquecida.

Tudo que você leu neste post foi pensado para te ajudar a evitar problemas em sua gestão empresarial. Que deve ser feita pautada nas melhores práticas, e sempre com o apoio de um sistema de gestão financeira, porque, sem saúde financeira, não há negócio que prospere!

Assine, agora, nossa newsletter e continue informado sobre tudo que interessa ao empreendedor!

Sobre o autor

F360°

Somos uma startup com a missão de facilitar o gerenciamento financeiro de pequenos e médios varejistas. Para isso, desenvolvemos um sistema de gestão financeira que faz conciliação automática de cartões, conciliação bancária, gerenciamento de contas a pagar e contas a receber, fluxo de caixa e DRE. Criamos esse blog com o intuito de compartilhar nossas experiências e fazer desse espaço um lugar de muita troca de conhecimentos.

Share This