Finanças

Análise Horizontal e Vertical da DRE: aprenda a comparar os resultados!

Análise Horizontal e Vertical da DRE
Escrito por F360°

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) traz uma série de informações que servem de suporte para os gestores tomarem suas decisões estratégicas. Mas você sabe como a análise horizontal e vertical da DRE pode dar mais informações e ajudar os empreendedores no processo de gestão? É isso que veremos neste post! Continue lendo e confira:

O que é DRE?

A DRE é uma demonstração econômica, relacionada com a geração do resultado da empresa. Ela é apresentada de forma dedutiva, ou seja, trabalha com um valor como referência — a receita bruta — e, a partir dele, extrai os valores de custos e de despesas até chegar ao lucro ou ao prejuízo do exercício.

Assim, sua estrutura é padronizada e definida em lei, mas, dependendo da atividade principal da empresa, ela pode apresentar algumas especificidades.

Do ponto de vista tributário, por exemplo, há impostos que só incidem sobre as atividades industriais, ao passo que outros ocorrem apenas nas empresas prestadoras de serviços, alterando a estrutura e apresentação da DRE.

Dados como as vendas segmentadas por tipo de serviço ou por produto também são possíveis de ser extraídos da DRE, de acordo com a necessidade de cada entidade. E, quanto maior for o nível de detalhamento da informação, melhor poderá ser o processo de tomada de decisão pelos gestores.

Quais são as vantagens da DRE?

De fato, várias informações podem ser analisadas, e decisões, tomadas, com base nos dados obtidos em uma DRE.

Um exemplo é a evolução das receitas ao longo do tempo, que pode indicar que um negócio tem ritmo de crescimento diferente do esperado pelos seus gestores. Para isso, são necessárias informações de, no mínimo, dos períodos consecutivos.

A evolução dos gastos incorridos também é uma informação disponível na DRE, e que pode auxiliar os gestores na identificação de novas estratégias empresariais.

Quando analisados ao longo do tempo, esses custos operacionais podem indicar a necessidade de revisão de procedimentos produtivos — fator que ajuda melhoria de desempenho geral de uma empresa.

Nesses casos, além de ter dados em que se possa confiar, é necessário que se atente às variações tanto em valores absolutos quanto em valores percentuais, para não dar atenção desnecessária a um item ou deixar equivocadamente algo importante sem análise.

O que é análise horizontal e vertical?

A análise horizontal e vertical é uma técnica de análise de dados que tem o objetivo de obter informações estratégicas para uma entidade. Assim, por meio de comparações, é possível identificar o que está melhor, e pior, dentro de um período analisado.

A análise horizontal é realizada com informações de, pelo menos, dois períodos consecutivos e que tenham a mesma natureza, como caixa, bancos ou vendas, por exemplo. Vejamos um exemplo:

Consideremos os dados com despesas financeiras, aquelas com juros, incorridas por uma empresa. No primeiro ano, o valor total gasto foi de R$ 4 mil e, no segundo, de R$ 7 mil. Nessa situação, deve-se analisar a variação em termos percentuais, e não apenas pela diferença monetária, que é de R$ 3 mil.

A diferença percentual é de 75% positivos, ou seja, o valor se elevou em 75% de um ano para o outro. Mas, para saber se tal variação é, de fato, relevante, os dados gerais também devem ser analisados.

Caso, no geral, a empresa apresente variações sempre muito pequenas (na ordem de 20%, por exemplo), esse valor de 75% deve receber atenção especial. Mas, se as variações normais de uma entidade sempre ultrapassam 100%, não é o caso de se dar tanta atenção ao valor de 75%.

Outro fator a ser considerado é o valor absoluto em relação à estrutura empresarial.

No caso apresentado, a variação foi de R$ 3 mil. Assim, se for analisada a receita total gerada por uma entidade, e o crescimento dela tiver sido superior a R$ 100 mil, esse valor fica menos importante. Ao passo que, se a receita tiver se mantido estável do primeiro para o segundo ano, o valor de R$ 3 mil se destaca.

Bom, nesse sentido, a análise vertical completa a horizontal por considerar dados de apenas um período, mas realizar uma análise das partes com o todo. No caso das despesas financeiras, por exemplo, uma comparação possível seria com o total de receitas.

Se esse valor sofrer variações percentuais muito grandes de um período para outro, significa dizer que as despesas financeiras, quando comparadas com as receitas totais, ganharam ou perderam importância dependendo da variação — o que pode demandar atitudes por parte da gestão da empresa.

Como são feitos os cálculos da análise horizontal e vertical?

Na análise horizontal, deve-se considerar o dado mais antigo como base e a variação ocorrida como numerador. Assim, no caso dos juros de R$ 4 mil para R$ 7 mil, a variação é de R$ 3 mil. Então, dividindo-se R$ 3 mil por R$ 4 mil, tem-se a relação de 0,75, ou seja, 75%.

Mas, isolada, essa informação não demanda necessariamente uma atitude por parte dos gestores. Deve-se, portanto, partir para a análise vertical. Supondo uma receita total no segundo ano de R$ 1 milhão, o valor de R$ 7 mil deve ser dividido por esse total, gerando o valor de 0,007, ou 0,7%.

Isso evidencia que, embora com uma variação de 75% de um ano para outro, as despesas financeiras representam muito pouco das receitas totais, indicando, nesse momento em específico, pouca representatividade de tal dado.

Como tirar conclusões com base na análise horizontal e vertical?

Como dissemos, esses indicadores financeiros gerados pela análise horizontal e vertical da DRE ajudam os gestores a tomar decisões estratégicas para um negócio, mas devem ser sempre analisados em conjunto.

Nunca se deve, por exemplo, analisar apenas os dados de análise horizontal ou vertical isoladamente. Considerando o caso anterior, um valor de 75% — visto como alto —, não terá tanta importância, já que representa menos de 1% do total das receitas de uma entidade naquele mesmo período.

E a projeção dos resultados é outro ponto que pode ser analisado, pois, com base no passado e no presente, é possível visualizar o futuro por meio de uma DRE projetada, auxiliando no processo de tomada de decisão.

Enfim, neste post você viu o que é a análise horizontal e vertical da DRE, além de conhecer detalhes da demonstração, como se fazem os cálculos das análises e como analisar as informações obtidas com base nos resultados obtidos.

Lembre-se que, quanto mais você entender do negócio e do mercado em que atua, melhores serão as suas chances de tomar uma boa decisão para seu negócio. E agora, se quiser saber mais sobre finanças, aproveite para assinar a nossa newsletter e garanta sempre o recebimento de informações relevantes!

Sobre o autor

F360°

Somos uma startup com a missão de facilitar o gerenciamento financeiro de pequenos e médios varejistas. Para isso, desenvolvemos um sistema de gestão financeira que faz conciliação automática de cartões, conciliação bancária, gerenciamento de contas a pagar e contas a receber, fluxo de caixa e DRE. Criamos esse blog com o intuito de compartilhar nossas experiências e fazer desse espaço um lugar de muita troca de conhecimentos.

Share This