Finanças

Demonstrativos financeiros: ferramenta para tomada de decisões

Escrito por Finanças 360°

Quem tem um negócio sabe que o dia a dia é composto por diversas tomadas de decisão. Elas são mais facilmente acertadas quando você usa como base os demonstrativos financeiros. Esses documentos contábeis ajudam a assegurar maior eficiência na gestão financeira, facilidade operacional, redução de custos e de perdas de recursos e ainda fornecer uma visão mais ampla do negócio — tudo o que qualquer empreendedor precisa.

Mas quais são esses demonstrativos, como usá-los na sua empresa e quais são os principais tipos de cálculos que devem ser realizados? Vamos responder a essas dúvidas neste post!

Então, continue acompanhando e entenda como esses documentos podem influenciar as suas decisões.

O que são os demonstrativos financeiros?

São relatórios contábeis que subsidiam a tomada de decisão no negócio. A finalidade de usar esses documentos é ter um diagnóstico a respeito da situação econômico-financeira e outras informações que são úteis para o processo de gestão.

Vale a pena destacar que essas demonstrações não se limitam ao resultado de indicadores financeiros. Eles estão direcionados para dentro e fora da organização e, por isso, assinalam os pontos fortes e fracos da performance financeira e operacional.

As principais demonstrações financeiras são: o Balanço Patrimonial, a Demonstração de Resultado do Exercício (DRE) e o fluxo de caixa.

Balanço Patrimonial

Demonstra de forma qualitativa e quantitativa a posição financeira e patrimonial da empresa. Nesse relatório, as contas são categorizadas conforme os elementos do patrimônio que foram registrados.

Os ativos são bens, aplicações de recursos e direitos que podem gerar vantagens econômicas futuramente. Os passivos são compostos por origens de recursos representados por obrigações com terceiros. A diferença do valor do primeiro para o segundo resulta, se positivo, no patrimônio líquido, que são os recursos próprios que a empresa possui.

Demonstração de Resultado do Exercício (DRE)

Assinala o resultado líquido em determinado exercício. Isso é feito por meio da comparação de receitas, despesas e custos, em um processo apurado de acordo com o regime de competência (as ocorrências são registradas no momento em que ocorrem, ou seja, na data do fato gerador).

Fluxo de caixa

Apresenta todas as movimentações financeiras do negócio. Também permite projetar receitas e despesas futuras, o que proporciona compreender como será o saldo de caixa para o período de tempo projetado.

Dessa forma, fica fácil entender que essas demonstrações são importantes ferramentas para a tomada de decisão. Afinal de contas, elas oferecem dados atualizados sobre o negócio, que vão propiciar mais segurança.

Como fazer a análise?

A princípio, esse processo não parece ser complexo. Na verdade, a parte de contabilização realmente é mais simples. O que se torna mais difícil é fazer a interpretação dos dados, que vão se tornar informações importantes para o gestor.

Para avaliar os dados de maneira mais fácil, existem 4 tipos de análise que podem ser realizadas:

1. Análise contábil

A finalidade é examinar os documentos contábeis para obter informações numéricas a respeito de dois ou mais intervalos de tempo. Com isso, é possível repassar os resultados para os stakeholders, especialmente acionistas e gestores.

2. Análise financeira

Sua execução contempla principalmente indicadores que levem a uma análise ampla. Pode considerar curto, médio e longo prazos em relação à velocidade do giro dos recursos financeiros.

3. Análise da alavancagem financeira

Essa análise permite mensurar o nível de utilização do capital de terceiros e quais foram os efeitos gerados para a formação da taxa de retorno do capital próprio.

4. Análise econômica

O objetivo dessa avaliação é medir a rentabilidade do capital próprio, a lucratividade, o lucro líquido por ação e o retorno dos investimentos operacionais.

Essas indicações deixam claro que a análise das demonstrações deve conter a avaliação de ativos e passivos, receitas e despesas; a verificação e a apuração de ações judiciais ou administrativas; e a análise de capital mínimo e de riscos.

Os principais métodos de análise que podem ser utilizados são os seguintes, com seus respectivos cálculos:

Análise vertical

A estrutura patrimonial é contabilizada a partir da definição dos percentuais de cada grupo de contas do Balanço Patrimonial em comparação com o total do passivo ou do ativo. A fórmula é: grupo de contas x 100 / ativo ou passivo.

Por exemplo: imagine que o grupo de contas teve resultado de R$ 1.232 e o ativo total ficou em R$ 2.018. Aplicando os valores na fórmula, temos: 1.232 x 100 / 2.108 = 61,1%.

Análise horizontal

Essa análise compara o valor de cada elemento do demonstrativo a cada ano com seu valor correspondente no período anterior, que é utilizado como base. A finalidade é verificar a evolução de cada grupo de contas de forma isolada. O cálculo é: valor atual do item x 100 / valor do elemento no ano-base.

Por exemplo: digamos que o valor do item seja R$ 917 e anteriormente ele estava em R$ 709. O resultado da fórmula é: 917 x 100 / 709 = 129. Ou seja, o grupo de contas teve uma elevação de 29%.

Rotação do investimento total

Esse método avalia a eficiência dos recursos aplicados. Dessa forma, pode-se saber se o movimento industrial ou mercantil tem compatibilidade com o volume investido em ativo. A fórmula é: receita líquida / ativo. É importante ressaltar que o ativo, de preferência, deve ser médio, ou seja: inicial mais final dividido por 2.

Por exemplo: o valor da receita líquida foi de R$ 5.000 e os ativos são de R$ 2.500. A rotação do investimento total, nesse caso, é de 2. Isto é: cada R$ 1 aplicado no ativo gera uma receita líquida de R$ 2.

Quais são os benefícios da análise?

A interpretação dos dados permite chegar a uma análise das demonstrações financeiras, o que é importante para a tomada de decisão. Quanto mais informações forem filtradas, maior é a chance de o empreendedor conseguir elaborar um planejamento financeiro.

Com isso, a empresa conquista maior competitividade e destaque perante a concorrência. O resultado é o melhor crescimento e desenvolvimento econômico da organização.

Por outro lado, uma quantidade exagerada de informações pode ser inútil, porque o objetivo da análise é fornecer mais agilidade para a tomada de decisão.

Fica evidente, então, que os demonstrativos financeiros fornecem boas análises para que você possa tomar decisões quanto ao seu negócio. Então, se você ainda não utiliza esses métodos na sua empresa, deve começar agora mesmo! Se você ficou com alguma dúvida ou tem algo a compartilhar, aproveite e deixe seu comentário no post!

Sobre o autor

Finanças 360°

Somos uma startup com a missão de facilitar o gerenciamento financeiro de pequenos e médios varejistas. Para isso, desenvolvemos um sistema de gestão financeira que faz conciliação automática de cartões, conciliação bancária, gerenciamento de contas a pagar e contas a receber, fluxo de caixa e DRE. Criamos esse blog com o intuito de compartilhar nossas experiências e fazer desse espaço um lugar de muita troca de conhecimentos.

Share This