Notícia

Fluxo de visitantes em lojas físicas cresce em julho, mês das férias, aponta FX Retail Analytics

Escrito por Finanças 360°

Índice de Lojas Físicas, levantamento da empresa em parceria com a fintech F360º, mostra que vendas não acompanharam o crescimento de visitantes 

O mês de julho, conhecido pelo período de férias escolares, registrou um aumento no fluxo de visitantes nas principais lojas do país. É o que mostra o Índice de Lojas Físicas, levantamento realizado pela FX Retail Analytics, empresa especializada em monitoramento de fluxo para o varejo. 

O indicador mostra um crescimento de 3,83% em todo o país na comparação com o mês anterior. O desempenho foi puxado pela região Centro-Oeste, que teve alta de 9,30%. O Sudeste, o Sul e o Nordeste também cresceram, com 4,91%, 3,54% e 3,21%, respectivamente. A região Norte foi a única com números negativos ao cair 4,66%. 

No comparativo com o mesmo período do ano anterior, o Índice de Lojas Físicas teve uma leve alta de 0,49%. A região Nordeste obteve o melhor percentual, com 6,57%, seguida pelo Centro-Oeste e Sudeste, que cresceram 1,10% e 0,33%, respectivamente. As lojas da região Norte tiveram uma queda de 0,89% no número de visitantes e as do Sul caíram 3,49%. 

“O mês de julho é  um período de férias escolares, ideal para passeios em famílias e, consequentemente, para frequentar lojas e consumir mais. É natural, portanto, que o número de visitantes aumente”, explica Flávia Pini, CMO da FX Retail Analytics. 

Número de vendas não acompanha crescimento no fluxo de visitantes 

Mais pessoas visitaram lojas físicas no Brasil, mas essa quantidade não  refletiu nas vendas das lojas físicas. O indicador mostra queda tanto na quantidade de transações quanto no faturamento em relação ao mês anterior. Os dados são obtidos em parceria com a fintech F360º, plataforma de gestão financeira com conciliação automática de vendas por cartão para o pequeno e médio varejista.

“Apesar da reforma da previdência em primeiro turno e de uma melhora na confiança do empresário e do consumidor, o varejo ainda mostra dificuldades de recuperação na venda e no fluxo por conta de problemas na renda e na geração de emprego dos brasileiros”, afirma Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC). 

Na comparação com junho de 2019, as lojas analisadas recuaram 6,87% na quantidade de vendas realizadas e  4,33% no valor faturado. Na comparação com julho de 2018, houve queda de 9,32% no número de transações, mas em contrapartida teve um aumento de 4,43% no volume financeiro total. 

“Neste período não há datas sazonais importantes e o consumo costuma estar atrelado ao Dia dos Pais, que acontece só no segundo domingo de agosto e distribui o faturamento entre os dois meses”, comenta Henrique Carbonell, sócio-fundador da F360º. 

Sobre o autor

Finanças 360°

Somos uma startup com a missão de facilitar o gerenciamento financeiro de pequenos e médios varejistas. Para isso, desenvolvemos um sistema de gestão financeira que faz conciliação automática de cartões, conciliação bancária, gerenciamento de contas a pagar e contas a receber, fluxo de caixa e DRE. Criamos esse blog com o intuito de compartilhar nossas experiências e fazer desse espaço um lugar de muita troca de conhecimentos.

Share This