Empreendedorismo

Saiba como enfrentar a burocracia no Brasil e fazer sua empresa crescer

Escrito por F360°

Embora muita gente ache que o termo “empresa” signifique o local ou o estabelecimento onde uma determinada ação de negócio é realizada, em verdade, ele se refere sobre o lugar, mas a atividade comercial propriamente dita. E desenvolver uma instituição no nosso país não é uma tarefa fácil. A burocracia no Brasil é muito grande.

A legislação pátria, além de ser muito extensa, também é bastante lacunosa, obscura e cheia de obrigações das mais diversas naturezas, tanto jurídicas, como contábeis, empresariais, etc.

Assim, o empreendedor brasileiro tem duplo desafio: desenvolver o negócio, fazendo-o crescer e se destacar no contexto em que a competitividade está cada vez mais acirrada e ainda atender aos comandos legais, ficando em dia com a legislação e evitando a incidência de multas e outras penalidades.

Então, como o objetivo é ter sucesso na missão, é preciso adotar algumas medidas para contornar os obstáculos e realizar a sua atividade da melhor forma possível.

Pensando em ajudá-lo, fizemos esse post com algumas dicas de como se dar bem no ramo empresarial sem ser prejudicado pela alta burocracia que acomete os homens de negócio brasileiros no exercício de suas atividades. Boa leitura!

O porquê de tantas burocracia no Brasil

Primeiramente, para que possamos traçar boas estratégias para vencer os desafios da gestão de corporação no Brasil, é preciso entender as razões que levaram nossa administração pública a criar um emaranhado de leis e procedimentos.

O pilar principal de sustentação da máquina pública é a arrecadação tributária. Devemos lembrar que a maior forma de obtenção dos valores necessários é tributando a atividade empresarial, responsável pela maior parte do PIB (Produto Interno Bruto).

Assim, para que a arrecadação tributária seja realmente efetiva, é preciso que o governo encontre maneiras de evitar a sonegação de impostos e contribuições.

Tentando concretizar esse objetivo, a presidência criou uma série de obrigações, tanto para o empreendedor deixar claras as suas atividades e as receitas delas advindas, quanto para que ele possa sofrer multas em caso de descumprimento, e aí gerar ainda mais receita para os cofres públicos.

Portanto, o interesse do governo é arrecadar cada vez mais. Cabe, agora, ao empreendedor, traçar os melhores caminhos para não ser prejudicado pela burocracia e fazer a sua firma prosperar e gerar os resultados almejados.

Quer saber como fazer isso? Então dá só uma olhada nas dicas que separamos!

Comece por um bom planejamento

Para se dar bem numa economia cada vez mais competitiva, o empreendedor não pode contar apenas com a sorte, ou ficar à mercê de amadorismos ou intuição.

É preciso planejar-se, e a palavra planejamento, aqui, tem duplo sentido: tanto o planejamento tributário, quanto o planejamento estratégico empresarial.

O planejamento tributário é essencial para evitar que a organização pague mais tributos do que o necessário, ou para que não deixe de reaver parcelas quitadas indevidamente. Os custos com essa medida costumam ser inferiores aos das receitas desperdiçadas por um pagamento tributário irresponsável ou irrefletido.

O planejamento, na hora de pagar os tributos, vai economizar valiosas receitas, que podem ser usadas para realizar importantes investimentos na organização e fazer o seu negócio crescer.

Já o planejamento estratégico empresarial deve ser visto como a verdadeira espinha dorsal do sucesso da instituição. Como já foi dito, um negócio é uma atividade complexa, que não pode depender de amadorismo. Pelo contrário. Ela deve ser encarada de forma profissional e séria.

Portanto, para que isso seja possível, é indispensável que o gestor faça um planejamento estratégico, com a delimitação das metas que pretende alcançar, as estratégias que vai usar para efetivar o que foi proposto, e a forma de corrigir as eventuais falhas ou desvios que encontrará pelo caminho. É preciso saber onde se quer chegar e como isso deverá ser feito.

Invista na inteligência empresarial

Outra forma importante para enfrentar a burocracia é incentivar cada vez mais o aperfeiçoamento na gestão do negócio, tornando-a mais eficiente. A inteligência empresarial consiste na obtenção, seleção e utilização das principais informações sobre uma dada atividade e o segmento em que se encontra.

É preciso conhecer a organização de dentro para fora, todas as suas nuances, forças e fraquezas. E isso tanto no ambiente interno, quanto no externo. Sabendo das suas potencialidades, o gestor pode canalizá-las para as áreas mais estratégicas, que darão um maior retorno financeiro.

Do mesmo modo, conhecendo os seus pontos fracos, o líder pode tentar melhorá-los ou mesmo suavizar as dificuldades que eles podem causar. O segredo é focar no que a organização tem de melhor. E a inteligência empresarial é peça-chave para isso.

Conte com a ajuda da tecnologia

Os processos empresariais são vastos e o gestor não pode correr o risco de ser ineficiente. Os seus resultados dependerão de como ele lida com as adversidades e conduz as suas atividades internas.

Por isso, a tecnologia deve ser uma importante aliada na hora de realizar as tarefas da instituição, e o seu uso pode ser o mais amplo possível, como: no registro de ponto de funcionários (que é obrigatório para as firmas com mais de dez colaboradores); sistema na nuvem; agendas eletrônicas; painéis para a disseminação de informações no ambiente corporativo (comunicação interna e endomarketing); inovações para melhorar os processos contábeis, auxiliar no cálculo e pagamento de tributos, de receitas e despesas;  registro de informações e dados importantes sobre a organização.

O fato é que a tecnologia veio para facilitar o ambiente de trabalho e mudar radicalmente a forma do homem interagir com o meio, e no âmbito empresarial isso não é diferente.

Aposte numa assessoria qualificada

Por fim, mas não menos importante, deve-se com a ajuda de uma equipe de assessoria qualificada e competente.

É preciso esclarecer as dúvidas surgidas de maneira eficaz e segura. Além disso, uma boa assessoria também poderá auxiliar na tomada de decisões e na formulação de estratégias, ideias inovadoras e preventivas, evitando que a instituição seja prejudicada por eventuais equívocos ou despreparo de seus gestores.

Tenha uma boa gestão financeira

Muitos negócios não prosperam porque o líder acaba descuidando de realizar uma boa gestão financeira. É preciso ter clareza sobre os recursos disponíveis, os compromissos a quitar e a melhor forma de investir o capital do negócio, fazendo-o girar e crescer cada vez mais.

Contar com a ajuda da tecnologia ou de uma boa assessoria técnica nesse quesito pode fazer a diferença no seu negócio e ser o primeiro passo para aquela mudança que você tanto almeja. Já pensou nisso?!

Gostou do nosso artigo sobre como enfrentar a burocracia no Brasil e fazer a sua empresa crescer? Então veja também como conseguir crédito de forma inteligente para o seu negócio!

Sobre o autor

F360°

Somos uma startup com a missão de facilitar o gerenciamento financeiro de pequenos e médios varejistas. Para isso, desenvolvemos um sistema de gestão financeira que faz conciliação automática de cartões, conciliação bancária, gerenciamento de contas a pagar e contas a receber, fluxo de caixa e DRE. Criamos esse blog com o intuito de compartilhar nossas experiências e fazer desse espaço um lugar de muita troca de conhecimentos.

Share This